Você já viu algum filme ou documentário onde os caras ficam procurando minas terrestres, ou então aqueles filmes de ficção onde uma pessoa cheia de apetrecho fica rastreando o chão em busca de objetos?
Pois eu pensei que só iria ver isto em filmes. Mas estava na praia das Conchas, em Cabo Frio/RJ, quando de repente me deparo com esta cena do post!
Nem tratei a foto para você ver que é real! Daí comecei a pensar o que poderia ser isto:
  • Gravação de alguma cena de filme ou novela?
  • Alguma campanha ecológica de conservação das praias onde buscavam latinhas enterradas na areia para proteger a fauna e a flora?
  • Algum estudo do estado do solo, já que eu estava em uma praia de preservação ambiental e poderia ser um levantamento..sei lá!
Pensei em tudo isso mas continuei a fazer o que eu chamo “Ócio Produtivo”, que traduzindo é literalmente “pensar em nada”!
Mas ai logo em seguida apareceu outro rapaz com os mesmos equipamentos mas no sentido contrário. Ai eu fiquei curioso mesmo e não aguentei. Saí do meu Ócio Produtivo e fui pro pai de todas as respostas: O Google.
Para minha surpresa ainda maior não era nada daquilo que eu estava pensando. ERA UM NEGÓCIO!
Eu até ri na hora pois não estava acreditando. Mas era verdade. Chamei de “Os caçadores do tesouro perdido” pois são literalmente.
Eles varrem a praia na busca por jóias, relógios e outros metais preciosos ou valiosos que as pessoas perdem na praia ou na água e na grande maioria das vezes o mar despeja na beira da praia.
Chegam a tirar por mês até 4 mil reais.
O aparelho detector custa a partir de R$199,00 e pode ser facilmente comprado pelo Mercado Livre. Modelos mais caros com maior potência de detecção passam de mil reais.
E não é de hoje. Isto acontece há um tempo e tem gente que já vive só disso.
Prometo se encontrar novamente outro Caçador de Tesouro na praia gravo um vídeo com ele e compartilho aqui.
É a tecnologia a favor dos negócios. E isto reforça que empreender é uma questão de atitude.